quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Big Update!

Big Update!

















segunda-feira, 26 de agosto de 2013

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

De Aplhonse Mucha à Adam Hughes: A Arte Nouveau nos Quadrinhos!



Introdução

Nascida na relação com o movimento “Arts & Crafts” de William Morris (1834–1896),durante as décadas finais do século XIX, a Arte Nouveau surgiu com a finalidade de acrescentar um elemento hedonista a um objeto útil, a partir dos elementos decorativos acrescentados nos objetos, assim buscando uma visão otimista para a nascente sociedade das máquinas que surgia no período.

Este movimento abrangeu os mais diversos campos de produção artística. A arquitetura, seja ela externa ou interna, foi a mais beneficiada pro este movimento. Outro ramo da arte que se beneficiou, aliada à evolução industrial do período, foram as artes gráficas. Muito do que vemos de design atualmente deve ao Arte Nouveau.

Diversos ilustradores da época destacaram-se com o uso de impressões de seus trabalhos, fosse de forma impressa mecanicamente ou através de litografias, um tipo de impressão feita através de um desenho em uma pedra, e de técnica similar à gravura, destaca-se o pintor, escultor, fotográfico e ilustrador Alphonse Mucha (vide figura 1).


Figura 1-Alphonse Mucha- Retrato. 
George R. Lawrence Co., Chicago. 1906

1.Alphonse Mucha e sua história



Figura 2-Gismonda. 
Litografia. 216 cm x 74,2 cm. 1894
Alphons Maria Mucha (1860-1939) ,nasceu em 24 de julho de 1860, na cidade de Ivančice, ao sul da Moravia
Em 1879 vai para Viena, trabalhar na pintura de cenários para o teatro, e na cidade conseguiu trabalhos de decoração para o Conde Khuen-Belassi, que também financiou seus estudos na academia de artes de Munique. Viajou para Paris a fim de continuar seus estudos na academia Julian, no ano de 1887.
Sua fama surgiu em Dezembro de 1894, já vivendo em Paris e iniciado seus trabalhos na cidade, ele aceitou uma encomenda de criar um pôster para uma das mais famosas atrizes de teatro da época, Sarah Bernhardt. A apreensão tomou conta dos envolvidos, que temiam a não aceitação do trabalho de Mucha, com seu estilo fora dos padrões, mas Bernhardt adorou a obra, batizada de Gismonda (vide figura 2) e a apresentou ao público.

Agora amparado pela atriz, com um contrato que durou seis anos, o “Le Mucha Style” tornou-se reconhecido e aceito em Paris. Esse sucesso trouxe para o artista diversos trabalhos e exposições, sendo ele o primeiro artista a  expor sozinho na Galeria Bondiniére, com 107 trabalhos e um pouco mais tarde no Salon dês Cent, com 448 trabalhos. Fez trabalhos para a Exposição Universal de Paris em 1900, trabalhos esses encomendados pelo governo austro-húngaro. Também trabalhou com designs de vestuário, decoração de palcos, design de capas e ilustrações para revistas, joalherias e diversos pôsteres.
Em 1906 viajou para os Estados Unidos, onde ele lecionou em Chicago e Nova York, expôs em Chicago e Boston e decorou o Teatro Germânico em Nova York.

Figura 3-Mucha Trabalhando na Slav Epic-fotografia-autor desconhecido.1920
Voltou para a Tchecoslováquia em 1910, onde permaneceu até o fim de seus dias. Em sua terra natal, Mucha dedicou-se na produção de vinte pinturas que apresentavam a história do povo eslavo. Esse conjunto de obras forma  a chamada “Slav Epic (Slovanská epopej),” que tomou 18 anos de sua vida.(vide figuras 3 e 4).

Toda a obra foi apresentada e doada ao povo checo, em Praga, no ano de 1931.
Com a invasão da Gestapo alemã, em 1939, Mucha foi um dos primeiros a serem presos.,acusado de ser um revolucionário. Sua saúde ficou muito debilitada nesse período e ele retorna para sua casa.
Alphonse Mucha faleceu em 14 de julho de 1939, em Praga e foi enterrado no cemitério Vysehrad.

Figura 4-Slav Epic 07-Introdution of Slavic Liturgy-Tempera sobre Tela-610 cm x 810 cm .1912

2. Adam Hughes e a Arte Nouveau nos dias atuais.

Durante todo o século XX, a Arte Nouveau foi considerada um estilo datado. Porém, um dos ramos que acabou abraçando esse estilo como fonte de referência estilística foram as Histórias em Quadrinhos. Diversos artistas passaram a incorporar este estilo em suas obras, porém sua maior popularização foi graças aos trabalhos do artista americano Adam Hughes (vide figura 5).

Figura 5-Adam Hugehs-Autoretrato-
Lápis e Photoshop-Infogravura.

 Adam Hugues, nascido em 5 de maio de 1967, em Riverside Township, Nova Jersey.  Tornou-se bastante conhecido no mercado por produzir trabalhos com belíssimas mulheres. O termo “Good Girl Art” é bastante atribuído à sua arte. O próprio Adam descreve seu trabalho como Naturalista invés de realista.
Começou a trabalhar profissionalmente em 1985 e ganhou notoriedade em 1988,quando assumiu a revista Maze Agency, da pequena editora Cômico. Em 1989 conseguiu chegar às grandes editoras, com seu trabalho na revista americana Justice League International,a revista da Liga da Justiça nos Estados Unidos.
Nos anos de 1995-1996, Hughes trabalhou na revista Ghost, da editora Dark Horse. Foi nas paginas da publicação que o artista começou a utilizar sua influência da Arte Nouveau, seguido pelo seu trabalho nas capas da mini-série Voodoo, pra editora Wildstorm. Aqui sim, sua escolha pelo design da ilustração é notório o uso de Mucha como referência.
Em 1998, Adam estabeleceu-se como artista de capas, onde produziu  um dos seus mais aclamados trabalhos:


Figura 6.1-Adam Hughes-
Wonder Woman nº 186-Dezembro de 2002

Figura 6.Adam Hughes-
Wonder Woman SDCC 2010. Infogravura.2010

As capas da revista Wonder Woman (Mulher-Maravilha) pra DC comics (vide figuras 6 e 6.1).
Nesse período Hughes tornou-se cada vez mais aclamado pela critica e público. Com isso vieram diversos outros trabalhos, como trabalhos para a revista em quadrinhos da personagem dos videogames, Lara Croft-Tomb Raider e ilustrações para revistas de Designers de videogames e até mesmo uma ilustração para a versão americana da revista Playboy.
Hughes seguiu produzindo capas para a outro títulos da DC Comics,como Catwoman (Mulher-Gato) , Zattana,Batgirl e eventuais trabalhos em outros títulos. Atualmente desenhou a mini-série Before Watchmen: Dr. Manhattan.
Ele hoje reside am Atlanta e está casado com a artista Allisson Sohn,que o ajuda em sua carreira,organizando sua agenda e compromissos.

Figura 8. 1-Adam Hughes.
Art Nouveau Slave Leia.
Lápis e Adobe Photohop.Infogravura.2010

Figura 8-Alphons Mucha-
La Dame aux Camélias. Litografia.
 207.5 x 76.2 cm. 1896
Em sua coletânea de trabalhos, o livro Cover Run-The DC Comics Art of Adam Hughes, O artista cita Mucha como sua referência[1], e olhando tecnicamente, vemos as características marcantes da Arte Nouveau em ambos os artistas tais como: 1-Temática naturalista; 2-utilização de motivos icônicos e estilísticos e até tipológicos, derivados da arte japonesa; 3-a morfologia: arabescos lineares e cromáticos e ritmos baseados nas curvas e suas variantes. (vide figuras 8 e 8.1) 
Porém, os artistas diferem em seus temas trabalhados. Mucha e os artistas da Arte Nouveau retrataram temas da elite em seus trabalhos, enquanto Adam Hughes usa temas diversos, como super-heroínas strippers nas capa da revista Voodoo. Ele até mesmo brinca com isso em seu livro.[2] “-Eu estou certo que Mucha nunca fez algo assim,até mesmo quando ele morou  em Montmartre.” (vide figura 9) 


Figura 9-Adam Hughes.Voodoo nº 02. 
Lápis,Naquim e aquarela. 63,5cm x 38.1cm. 1997
Com o sucesso de Adam Hughes, a Arte Nouveau, foi redescoberta nos dias atuais e hoje é reverenciada com excelência por ilustradores, que a utilizam em seus trabalhos como estética de excelência e alto teor estético.
3. O Legado

Hoje podemos afirmar que o verdadeiro legado da Arte Nouveau encontra-se nas mãos dos ilustradores e quadrinhistas. Estes artistas entenderam os preceitos técnicos desse estilo e o incorporaram ao seu banco de referências e conseguiram apresentar ao mundo contemporâneo um dos mais belos estilos da história da arte.
Vive Le Nouveau Monde!


[1] HUGHES,Adam. Cover Run-The DC Comics Art of Adam Hughes. 1º edição. Williard,OH,Estados Unidos,DC Comics, 2010 p.06-07
[2] HUGHES,Adam. Cover Run-The DC Comics Art of Adam Hughes. 1º edição. Williard,OH,Estados Unidos,DC Comics, 2010. p.26-27



BIBLIOGRAFIA

ARGAN, Giulio Carlo. Arte Moderna: do Iluminsmo aos movimentos contemporâneos. Tradução por Denise Bottman e Frederico Carotti. Prefácio por Rodrigo navaes. São Paulo. Companhia das letras,2004

HUGHES,Adam. Cover Run-The DC Comics Art of Adam Hughes. 1º edição. Williard,OH,Estados Unidos,DC Comics, 2010.

SITES
Alphonse Mucha

Adam Hughes
                http://en.wikipedia.org/wiki/Adam_Hughes